dreamfilm

 

Arcon continua entendimentos visando ao Cadastro Único da Pessoa com Deficiência

Mais uma etapa da agenda positiva que vem sendo cumprida entre a Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon) e integrantes do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CDPD), em torno da implantação de um Cadastro Único Estadual que assegure, de fato, o direito dessas pessoas à gratuidade no transporte intermunicipal de passageiros, foi realizada na manhã desta quarta-feira, 7, na sede da Arcon.

Além de representantes do Conselho Estadual, participaram do encontro membros da Associação Cegos do Pará (Ascepa), da Associação dos Deficientes Físicos do Oeste do Pará e da Associação Souza Filho de Artes Marciais.

O diretor de Controle Financeiro e Tarifário da Arcon, José Croelhas, representou o diretor geral da Agência, Bruno Guedes, na reunião, e informou que a Arcon já solicitou à Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) estudos e proposta para a implementação do projeto, que consiste no desenvolvimento de um sistema operacional de cadastro das pessoas e a confecção de cartões de identificação.

“A Arcon mobilizou sua equipe técnica para elencar todos os procedimentos necessários à construção e socialização desse cadastro único junto a seus operadores”, explicou José Croelhas.

Parceria - Croelhas também destacou que a Arcon já iniciou um diálogo com a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) para que a Agência possa utilizar o cadastro de beneficiários dos projetos sociais do Governo do Estado e que esse seja utilizado também no Cadastro Único Estadual. “Essas informações únicas, num mesmo espaço, serão uma experiência inédita de reconhecimento de direitos em favor do ir e vir das pessoas com deficiência no Pará”, aposta o diretor de Controle Financeiro.

 

Ivanilson Cardoso, membro do CDPD (foto acima), falou da alegria em nora a evolução dos entendimentos entre Arcon e o Conselho. “Estamos muito felizes com a evolução do projeto. O Conselho dá o seu aval e se alegra com os esforços empreendidos, torcendo para que essa agenda positiva siga em frente e que possamos ter o reconhecimento dos nossos direitos", enfatizou. 

 

Texto e fotos: Dedé Mesquita - Ascom/Arcon